ANÁPOLIS GOIÁS
MANHÃ DA SÃO FRANCISCO
Atualizado em 21/09/2023 - 12:27

O Grupo Especial de Investigações Criminais (Geic) da Polícia Civil prendeu o padrasto suspeito de estuprar a enteada, de 10 anos, em Anápolis. A criança revelou que sofria os abusos após chorar e pedir socorro na escola. A vítima disse à direção de ensino que não queria voltar pra casa. Então, o homem investigado pela série de abusos foi detido pela Polícia Civil nesta quarta-feira (20).

À Rádio São Francisco FM, o delegado Jorge Bezerra diz que a menina sofria de abusos sexuais desde muito nova. Bastante abalada, ela não soube dizer desde quando sofria os abusos.

“Essa criança estava cabisbaixa, com poucas amizades e dificuldade de realizar as tarefas. Então, o colégio realizou atendimentos com os alunos que possivelmente passavam por problemas. E, quando chegou a vez dessa menina, ela desabou em choro e começou a revelar uma série de abusos praticados pelo padrasto“, diz o delegado ao repórter Jonathan Cavalcante.

Investigação e prisão

Em seguida, após a denúncia da escola, o Grupo Especial de Investigações Criminais iniciou uma operação para apurar as denúncias. Durante a investigação, a Polícia Civil confirmou as práticas ilícitas e cumpriu o mandado de prisão e de busca e apreensão contra o padrasto da menina.

“Fica um alerta, até mesmo uma solicitação para as escolas. Fiquem de olho em seus estudantes. Então, ao menor sinal de diferença, questionem o que está acontecendo. E surgindo a suspeita de alguma prática criminosa, podem procurar a polícia“, finaliza o delegado Jorge Bezerra.

Como resultado, o padrasto investigado está recluso na Cadeia Pública de Anápolis. Ele responderá pelo crime de estupro de vulnerável.

Plantão Policial

A entrevista com o delegado Jorge Bezerra está disponível no Plantão Policial divulgado nesta quinta-feira (21); ouça:

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem