ANÁPOLIS GOIÁS
SUPER NOITE ESPECIAL
Atualizado em 17/01/2024 - 14:46

Uma reviravolta veio à tona horas após Jailton Nunes Cruz, de 45 anos, ser encontrado morto durante a madrugada desta terça-feira (16), em Anápolis. À princípio, o homem teria sido espancado com pauladas e pedradas, no cruzamento da Avenida Goiás com a Avenida Brasil. O caso era tratado como homicídio, porém, a Polícia Civil acredita que Jailton possa ser vítima de uma morte acidental.

Com exclusividade, o jornalista Jonathan Cavalcante trouxe atualizações do caso no Plantão Policial divulgado na manhã desta quarta-feira (17) na Rádio São Francisco 97.7 FM. Fontes da Polícia Civil informaram que, possivelmente, Jailton Nunes Cruz teria caído em via pública após subir em um poste com o objetivo de danificar uma possível câmera de monitoramento.

Entenda o caso

Por ser “novato” no setor central, Jailton teria recebido o convite de usuários de entorpecentes que ficam na região das avenidas Goiás e Brasil. Os usuários desconfiavam de uma lâmpada com luz vermelha que, segundo eles, seria uma câmera instalada para que fossem monitorados. Antes disso, os traficantes tentaram quebrar a suposta câmera arremessando pedras e pedaços de madeira, porém, sem sucesso.

Corpo do homem estava no cruzamento das Avenida Goiás e Brasil (Foto: Reprodução/PM)

Então, os usuários de drogas teriam pedido para que Jailton subisse no poste e quebrasse a câmera. Em troca, a vítima receberia entorpecentes para realizar o “serviço”. No entanto, a reportagem apurou que ao subir no poste, Jailton teria caído com a cabeça no chão, o que possivelmente provocou a morte do homem que era morador do povoado de Placa, em Pirenópolis.

Grupo de Investigação de Homicídios apura possível morte acidental

A reportagem da Rádio São Francisco FM apurou que as pedras e pedaços de madeira encontradas no local indicavam que o homem teria sido assassinado, porém, as investigações e a perícia indicam que os objetos não teriam vínculo com a morte da vítima.

Jailton Nunes Cruz tinha 45 anos (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Jailton Nunes Cruz tinha 45 anos (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Antes de ser encontrado sem vida, a Polícia Militar (PM) conduziu Jailton por suspeita de violência doméstica, porém, a companheira dele desistiu do registro da ocorrência. Testemunhas que conversaram com a Polícia Civil informaram que, antes da queda, a vítima estaria com sinais de embriaguez.

Em resumo, o homicídio só será descartado após a conclusão do inquérito que é apurado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil. Até o momento, Anápolis segue sem nenhum registro de morte violenta nos primeiros dias de 2024.

Ouça as Ocorrências Policiais da 97,7 FM

Confira, na íntegra, mais informações divulgadas nas Ocorrências Policiais da Rádio São Francisco FM:

 

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem