ANÁPOLIS GOIÁS
FESTA DA MUSICA
Atualizado em 28/10/2023 - 12:56

Está preso o comerciante de 47 anos investigado por estuprar duas sobrinhas, de 11 e 13 anos, em Anápolis (GO). De acordo com a Polícia Civil, os abusos e perseguições aconteciam há três anos. Além disso, o homem oferecia dinheiro e presentes para assediar as crianças. O tio das meninas foi detido nesta sexta-feira (27) por policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Em entrevista concedida ao repórter Jonathan Cavalcante, da Rádio São Francisco FM, a delegada Aline Lopes Cardoso revelou detalhes da investigação (ouça aqui). Segundo a titular da DPCA, o suspeito que trabalha no ramo de hortifrúti poderá ficar preso por até 15 anos.

Como a Polícia Civil soube desse caso ?

No dia 18 de outubro, uma familiar das crianças, que hoje possuem 11 e 13 anos, relatou que as crianças teriam confirmado que há cerca de 3 anos, o tio que é casado com uma familiar delas, havia abusado das duas. Desde então, ele estava tentando cometer novos abusos. Ele oferecia dinheiro, ameaçava, e, principalmente, as ameaças vinham se intensificando nos últimos tempos. Então, uma tia das crianças denunciou os fatos à policia.

Foi possível confirmar que as meninas foram abusadas ? 

Encaminhamos as meninas para fazerem o exame de corpo de delito. O resultado confirmou que elas foram estupradas. Então, nós ouvimos outros familiares, escolhemos outros elementos de informação e pedimos a prisão dele no dia seguinte em que a família procurou a Polícia Civil. Descobrimos, que uma das meninas relatou que o homem tentou se passar por seu pai, para retirá-la da escola no horário das aulas e tentou força-lá a entrar em seu carro, usando um facão.

Sobre as perseguições, o que foi possível apurar ?

Ele estava ameaçando as pessoas da família caso contassem isso para a polícia. E os familiares percebiam que ele tinha uma certa obsessão, principalmente pela menina mais nova. Ele sempre tentava ficar sozinho com ela, forçando as situações para estar sozinho com ela. E quando esse assunto surgiu do possível abuso contra elas, ele foi questionado e negou os fatos. Com as ameaças, os familiares tinham medo, pois ele possui uma arma de fogo que até agora não foi encontrada.

Ao ser preso pela Polícia Civil, esse comerciante confessou o crime ?

No momento da prisão ele foi ouvido aqui da delegacia, e negou todos os fatos, mas também não sabe indicar o porquê que as crianças teriam inventado essa história. O comerciante afirma que é uma história delas, que isso não aconteceu, ele nega, afirma somente que dava dinheiro, mas justificava dizendo que era em troca de serviços que elas faziam. O suspeito disse que elas ajudavam ele no trabalho.

O suspeito responderá por quais crimes ?

Ele foi recolhido ao presídio em virtude do cumprimento do mandato de prisão preventiva, ele vai responder pelo crime de estupro de vulnerável, a pena máxima é até de 15 anos de reclusão.

Plantão Policial

Ouça a entrevista com a delegada e saiba mais detalhes do Plantão Policial de sexta-feira (27) para sábado (28), em Anápolis:

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem