ANÁPOLIS GOIÁS
CONEXÃO SERTANEJA
Atualizado em 19/03/2024 - 13:16

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira (12) a Operação Defaunação, com objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada na captura ilegal, receptação e tráfico de animais silvestres. Cerca de 100 agentes cumprem três mandados de prisão preventiva e 20 mandados de busca e apreensão.

Até o momento, as investigações detectaram que pelo menos 120 macacos-prego foram traficados pela quadrilha em apenas um ano, dois destes animais pertenciam à ex-Fazenda e influenciadora digital Nicole Bahls.

Ela ganhou os filhotes como um presente do então namorado, Marcelo Viana, em janeiro de 2023 e chegou a registrar um vídeo em que alimenta os macaquinhos, que aparecem dentro de um berço no quarto da influenciadora.

Assista o vídeo:

Na época, Nicole fez um ensaio fotográfico com os animais e colocou neles os nomes de Davi e Mical. “Eles são dois bebêzinhos que mudaram a minha vida. Tenho que levantar para dar mamadeira a noite toda. Estou me sentindo uma verdadeira mãe”, disse a influenciadora.

Nicole Bahls é dona de um sítio na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, onde mantem diversos outros animais, a maior parte deles com nomes de celebridades: Luciano e Angélica (um casal de pavões brancos), Ludmilla e Brunna (duas cabritas), Zé Vaqueiro (um ganso) e Caio Castro (um faisão)

Organização criminosa

Conforme a PF, os animais recebiam uma série de maus-tratos por parte dos integrantes da quadrilha, eram vendidos nas redes sociais e vinham acompanhados por um “kit” de documentos e selos públicos do IBAMA e do INEA, tudo falsificado. Além de macacos, eram comercializados também outros animais silvestres como araras, pássaros, cervos, iguanas e papagaios.

A investigação descobriu que o grupo criminoso era liderado por um bombeiro militar e composto por caçadores, receptadores, falsificadores e traficantes de animais silvestres. Estão envolvidos também servidores do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), do Comando de Policiamento Ambiental (CPAm), uma universitária e dois médicos veterinários.

Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa, receptação qualificada, crime ambiental, peculato, falsificação de documentos e selos públicos, falsificação de documento particular, uso de documento falso e falsidade ideológica. Se somadas, as penas podem alcançar de 46 a 58 anos de prisão.

Já quem comprou pode responder pelo crime de receptação, a PF não aplicará esta pena aos compradores que colaborarem entregando os animais espontaneamente e dando esclarecimentos à Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente (DMA/PF/RJ).

Nicole Bahls apagou de suas redes sociais as fotos que havia postado com os macacos, mas ainda não se manifestou sobre a investigação.

A Operação Defaunação tem apoio das Corregedorias da Polícia Militar (PMERJ) e do Corpo de Bombeiros (CBMERJ). Os mandatos foram expedidos pela 2ª Vara Federal Criminal de Niterói/RJ, nos municípios do Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo/RJ, Itaboraí/RJ e Maricá/RJ.

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem