Pré-natal inadequado está ligado à morte de bebês, aponta pediatra; ouça a entrevista

mortalidade infantil

O pré-natal é fator primordial para que o filho nasça e cresça com saúde”, defende a pediatra Gina Tronconi. A falta de acompanhamento na gravidez pode causar graves consequências não só para as mães, mas também para a criança. No Brasil, aproximadamente 22 mil crianças morrem por ano sem completar os 12 meses iniciais, segundo o Observatório de Saúde da Infância. Em entrevista à Rádio São Francisco, na manhã desta quarta-feira (11), a médica explicou os motivos relacionados à morte de bebês.

“A causa de mortalidade se deve à falta de um pré-natal adequado, de políticas públicas para essas crianças que necessitam de mais atenção. Isso eleva a taxa e a níveis não aceitáveis”, disse a médica. Segundo Gina Tronconi, o acompanhamento devido também evita o surgimento de doenças durante o processo de gravidez e reduz a possibilidade de infecção após o nascimento. Os procedimentos devem ser seguidos passo a passo, desde o exame de Tipagem Sanguínea até a Ultrassonografia Obstétrica. A especialista ressaltou, ainda, que todas as etapas são essenciais para a saúde da mãe e do filho.

“Posso citar o citomegalovírus, a Sífilis Congênita, que infelizmente ainda é recorrente em nosso país. Como médica, vivencio casos diariamente e que poderiam ser evitados com pré-natal adequado. Há necessidade de os pais entenderem que o acompanhamento é fator primordial para que o filho nasça e cresça com saúde”, pontuou a pediatra.

Ouça a entrevista na íntegra:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Whatsapp
Enviar mensagem