ANÁPOLIS GOIÁS
VIGÍLIA FRANCISCANA
Atualizado em 11/04/2024 - 13:48

Conhecido como um dos líderes mais cruéis de uma facção criminosa, o traficante Douglas Alves Machado, conhecido como “Cara de Cavalo”, costumava executar com requintes de crueldade qualquer um que cruzasse o caminho dele. Por esse motivo, a Polícia Civil de Goiás deflagrou nesta quarta-feira (10) a Operação Sem Refúgio. Além de Goiânia, houve prisões e buscas em Anápolis e outros cinco municípios goianos.

Em resumo, policiais civis cumpriram 22 mandados de prisão temporária e 23 de busca e apreensão contra membros de uma organização criminosa dedicada a homicídios, tráfico de drogas, armas, munições e lavagem de dinheiro.

Segundo a Polícia Civil, armas de fogo, munições, drogas, veículos, celulares e R$ 87.810,00 em espécie foram apreendidos com os suspeitos presos na última quarta-feira.

“Cara de Cavalo” comandava distribuição de drogas em Goiás

A operação foi realizada após a prisão de Douglas Alves Machado, conhecido como “Cara de Cavalo”, líder do grupo que, desde agosto de 2023, estava foragido e foi localizado na comunidade da Rocinha, Rio de Janeiro, território dominado pela organização que integra. Com apoio de policiais fluminenses, Douglas foi preso no domingo de Páscoa (31), na praia de São Conrado, zona sul do Rio.

Refugiado na comunidade, Douglas comandava com mão de ferro a distribuição de drogas em dezenas de bairros das regiões Central e Centro-Oeste da capital goiana, mandando matar sem o menor pudor qualquer um que atrapalhasse sua atividade criminosa.

Após a prisão do líder, que tinha mandado de prisão definitiva por crimes de homicídio qualificado, lesão corporal e uso de documento falso e havia foragido de livramento condicional, os trabalhos se voltaram às prisões de seus associados em solo goiano.

Grupo criminoso é suspeito de 10 assassinatos

A investigação iniciou no segundo semestre de 2023, estimando-se que ao menos dez assassinatos sejam de responsabilidade do grupo, na medida em que ocorreram na área então dominada por Douglas, onde nenhum crime era cometido sem sua anuência.

Os outros 21 presos eram intimamente ligados a Douglas vulgo “Cara de Cavalo” na guarda e disseminação de drogas, armas, munições e veículos utilizados pela organização. A partir de então, foram apreendidos celulares, anotações, automóveis, armas e drogas. Desse modo, a investigação avançará para delimitação precisa da conduta de cada associado em cada homicídio.

Na mesma medida, conforme os respectivos graus de envolvimento, serão indiciados por crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, posse de armas e munições e lavagem de dinheiro.

De acordo com a Polícia Civil, os mandados judiciais foram expedidos pela 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida de Goiânia, sob ordem do juiz titular, Dr. Jesseir Coelho de Alcântara. Em resumo, Douglas está preso no Rio de Janeiro, mas breve será recambiado para Goiás.

Plantão Policial

Ouça detalhes da prisão do “Cara de Cavalo” e confira detalhes de outras ocorrências no Plantão Policial divulgado nesta quinta-feira (11):

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem