ANÁPOLIS GOIÁS
CONEXÃO SERTANEJA
Atualizado em 27/02/2024 - 15:19

Um homem de 49 anos e uma mulher de 31 foram presos de forma preventiva nesta terça-feira (27). O casal é investigado por estupros cometidos contra uma menina de 12 anos, enteada do homem, que teria cometido os abusos, e filha da mulher, que foi indiciada por omissão.

Os mandados de prisão foram cumpridos pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Anápolis. A Polícia Civil recebeu a denúncia através do conselho tutelar, que foi acionado pela direção da escola onde a criança estudava.

Uma professora notou mudanças no comportamento da menina e percebeu também que a barriga da criança estava crescendo. A educadora conversou com a aluna, que revelou ter sido abusada pelo padrasto e estar grávida há cerca de 6 meses.

A menina contou dos abusos para a mãe antes da gravidez, mas a mulher preferiu acreditar no companheiro, que negou ter cometido os estupros. A criança também contou que, após violentá-la, o homem colocava um terço sobre sua barriga e rezava.

O padrasto chegou a ir espontaneamente à delegacia, onde negou a autoria dos estupros. No entanto, após o nascimento, foi realizado exame de DNA, que comprovou que ele era o pai do bebê.

O Poder Judiciário determinou a prisão do padrasto por estupro de vulnerável, e da mãe, por omissão, a pena pode chegar a 15 anos de prisão.

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem