ANÁPOLIS GOIÁS
MADRUGADA SERTANEJA
Atualizado em 28/01/2023 - 13:04

A ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, afirmou nesta sexta-feira (27) em entrevista a veículos da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que 14 processos de demarcação de terras indígenas estão prontos para homologação do governo federal. Segundo ela, as áreas são localizadas em oito estados de quase todas as regiões do país.

Confira a os estados de demarcação:

  • Ceará
  • Bahia
  • Paraíba
  • Santa Catarina
  • Rio Grande do Sul
  • Acre
  • Amazonas
  • Mato Grosso

 

Sônia Guajajara explica que no governo anterior, todos os processos de demarcação de terras indígenas haviam sido paralisados, mas o novo governo firmou um compromisso de retomar esses processos. Ainda durante a transição de governo. O grupo de trabalho temático sobre questões indígenas já havia incluído no relatório, uma lista das 13 áreas prontas para demarcação que juntas, somam cerca de 1,5 milhões de hectares..

 

Ameaças

Primeira indígena a assumir um cargo de ministra no governo federal, Sônia Guajajara atualizou a situação de vulnerabilidade dos povos originários. Segundo ela, o tema ganhou evidência somente nos últimos dias com a eclosão da crise sanitária vivida pelos Yanomamis, em Roraima. Porém de acordo com a ministra, este caso é apenas “a ponta do iceberg”.

“Tivemos seis anos de muita ausência do poder público. Yanomami é uma pontinha do iceberg”, afirmou Guajajara.

A ministra citou os casos dos povos Arariboia e Guajajara, no Maranhão, Uru-eu-wau-wau, em Rondônia, Karipuna, no Acre, e Munduruku, no Pará. Segundo ela, todas essas áreas possuem situações graves de invasões de madeireiros ou de garimpeiros e, com isso, há insegurança geral de saúde e alimentar.

A ministra também mencionou a situação dos indígenas Guarani Kaiowá, grupo que já esteve em evidência há alguns anos, mas que segue grave. Sônia explica que eles vivem em área ainda não demarcada e que é disputada por fazendeiros, as chamadas de áreas de retomada, em que há conflito permanente.

de acordo com a ministra, outra fonte também de preocupação é a região Vale do Javari, no extremo oeste do Amazonas, que concentra o maior número de povos indígenas isolados de todo o país. No ano passado, a região foi notícia mundial com os assassinatos brutais do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira.

“Nas duas últimas semanas foi encontrada uma bomba dentro da casa de um servidor da Funai no Vale do Javari. A Polícia Federal foi chamada e conseguiu desarmar a bomba”, revelou a ministra.

 

Ações permanentes

A ministra do Povos Indígenas falou também acerca da necessidade de ações permanentes nos territórios indígenas, para repelir ameaças e evitar novas situações de vulnerabilidade. Segundo ela é muito importante a retomada da presença do Estado no território.

“É preciso que seja feito um trabalho articulado com vários ministérios. Para isso, foi instalada uma comissão de enfrentamento que vai começar na segunda-feira (30), e a ideia é que o Ministério da Defesa permaneça no local para fiscalizar, juntamente com Ministério da Justiça e a Polícia Federal“, finalizou.

 

Conteúdo originalmente publicado por Agência Brasil

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem