Máquina de lavar de anapolina pega fogo e especialista fala sobre riscos

Uma máquina de lavar roupas causou prejuízos a uma família de Anápolis no início deste ano. O painel de controle do eletrodoméstico, que estava ligado à tomada, derreteu. De acordo com a professora de educação infantil Izabel Barboza, o eletrodoméstico pegou fogo alguns instantes após apresentar barulhos estranhos e diferentes do habitual. Devido ao tempo de uso, segundo ela, não acreditava que algo pior pudesse acontecer.

De acordo com Izabel, o painel da lavadora já havia sido consertado três vezes, mas que funcionava normalmente. Foi a filha da professora, Manuella, quem viu a fumaça e alertou. ”Eu disse que não iria pegar fogo, que era coisa de máquina velha de fazer muito barulho. Foi então que a máquina apresentou um cheiro de fumaça e minha filha me avisou. Graças a Deus que tirei o cabo da tomada e fui para dentro de casa’’, contou Izabel à Rádio São Francisco.

Palavra do especialista

O engenheiro eletricista Adriano Machado explica que, apesar de haver os riscos, é difícil identificar o problema sem os devidos conhecimentos técnicos, mas com alguns sinais é possível identificar anormalidades.

“Geralmente, a pessoa não percebe por conta própria se há algum problema com a parte elétrica. O equipamento começa a dar alguns sinais na parte elétrica seja da rede ou do próprio equipamento. Começa a fazer algum barulho diferente. Em algumas situações, o aparelho para de funcionar, mas ocorre de continuar funcionando, o que pode representar ainda mais risco”, afirma o especialista.

O especialista recomenda, ainda, ficar atento ao estado de conservação do equipamento. Em casos de anormalidades, levar a um profissional de conhecimento da área. “Sempre utilizar equipamentos em bom estado de conservação, evitar qualquer categoria de descascamento. Além disso, deve evitar encostar em partes metálicas caso esteja conectado na tomada”, afirma o engenheiro.

Números assustam

Em 2020, mais de 760 pessoas morreram devido a acidentes de origem elétrica, segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel). Desse total, 26 foram em decorrência de incêndio por sobrecarga. Considerando todo o cenário de sobrecarga sem morte, os números por sobrecarga totalizam 557 acidentes, número superior a 2019, quando houve 255 casos.

(Foto: Arquivo pessoal cedido à Rádio São Francisco)

 

 

 

 

 

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Whatsapp
Enviar mensagem