ANÁPOLIS GOIÁS
SUPER NOITE ESPECIAL
Atualizado em 20/03/2024 - 19:15

Ozeias Miguel Nunes, de 42 anos, faleceu na noite desta terça-feira (19) no Hospital Estadual de Anápolis Dr. Henrique Santillo (HEANA). O homem estava internado desde o dia 10 de março por complicações de um atropelamento. De acordo com a Polícia Militar (PM), Ozeias frequentava uma distribuidora de bebidas quando foi atropelado por um motorista bêbado.

Segundo testemunhas, na madrugada do dia 9, o condutor de um carro de passeio invadiu a calçada do estabelecimento localizado na Avenida Patrícia, no setor Adriana Parque. Além de Ozeias, outro homem também foi atingido. O motorista bêbado só parou quando colidiu contra um veículo estacionado na porta da distribuidora de bebidas.

O outro homem atropelado recebeu atendimento médico no local e passou por exames no hospital. Logo depois, ele recebeu alta hospitalar.

Ozeias Miguel teria se ausentado da cena do acidente e seguiu caminhando para casa. Porém, no dia seguinte, ele passou mal e precisou ser internado no HEANA. A partir disso, a família descobriu que ele teria sido atropelado enquanto estava sentado em uma mesa na porta de uma distribuidora de bebidas.

Família comunicou o falecimento de Ozeias

Nove dias após a internação, familiares comunicaram à Polícia Civil que Ozeias Miguel Nunes não resistiu aos ferimentos. Agora, o motorista bêbado que provocou o acidente poderá responder pelo crime de homicídio na condução de veículo automotor.

Familiares e amigos lamentaram a morte de Ozeias Miguel (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Familiares e amigos lamentaram a morte de Ozeias Miguel (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Motorista que provocou o acidente estava bêbado e pagou fiança

Instantes após o acidente, o motorista tentou fugir mas foi contido por populares até a chegada da Polícia Militar (PM). Segundo a corporação, o autor não possui Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Ele recusou soprar o bafômetro, mas o exame clínico realizado no Instituto Médico Legal (IML) constatou a embriaguez do motorista.

Desse modo, na Central de Flagrantes, o delegado plantonista arbitrou fiança no valor de um salário mínimo (R$ 1.412,00). Até o momento, o motorista responde o processo em liberdade. Então, o inquérito foi remetido para a Delegacia de Investigação de Crimes de Trânsito (DICT).

Ouça o Plantão Policial

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem