ANÁPOLIS GOIÁS
MANHÃ DA SÃO FRANCISCO
Atualizado em 06/05/2024 - 18:20
Doações de alimentos e água potável são prioridade. (Foto: Reprodução / Estadão Conteúdo)
Doações de alimentos e água potável são prioridade. (Foto: Reprodução / Estadão Conteúdo)

Anápolis se une a todo o país em prol de auxiliar as vítimas das enchentes que atingem o Rio Grande do Sul (RS). Frente a esta situação trágica, empresas, instituições e grupos sociais têm se organizado para enviar doações ao povo gaúcho. Em Anápolis, foram criados pontos de coleta para recebimento de doações, mas também é possível ajudar sem sair de casa, através de transferências via Pix.

Segundo as autoridades locais, atualmente os itens mais necessários são água potável, produtos de limpeza como detergente, sabão, vassouras e baldes, além de itens de higiene pessoal como sabonete, creme dental e shampoo.

No município anapolino, pessoas também estão engajadas na arrecadação de alimentos não-perecíveis, roupas, agasalhos, lençóis, calçados e colchões.

Confira locais de doação em Anápolis

  • Província São Francisco de Assis no Brasil: PIX (icsfaprov@gmail.com) e transferência bancária (Banco do Brasil: AG 5882-3 – C/C 10.292-X – CNPJ 35.332.968/0001/08)
  • Base Aérea de Anápolis: recebimento de doações, exceto dinheiro (itens listados) – BR-414, Km 4, das 8 às 18 horas
  • Câmara Municipal de Anápolis: recebimento de doações, exceto dinheiro (itens listados) – Avenida Jamel Cecílio, R. L 14, Qd. 50 – Jundiaí, das 8 às 18 horas
  • Igreja Church City: recebimento de doações, exceto dinheiro (itens listados) – Avenida Brasil Sul, 4100
  • Grupo SOS Mães: arrecadação focada em adquirir arroz e água potável – PIX (caroltelesalmeida@gmail.com)
  • Forja Box: recebimento de doações, exceto dinheiro (itens listados) – Av. Sen. Ramos Caiado, 356 – Maracanã, das 6 às 20 horas (doações serão repassadas à Base Aérea)

Cenário triste e preocupante

A fortes chuvas que atingem já provocaram mais de 83 mortes, 111 desaparecimentos e deixaram 276 pessoas feridas. Segundo a Defesa Civil,  141,3 mil pessoas estão fora de casa, sendo 19,3 mil em abrigos e 121,9 mil desalojadas (nas casas de familiares ou amigos). 345 dos 496 municípios do estado foram afetados.

As chuvas provocaram alagamentos, falta de energia, bloqueio de rodovias federais e estaduais, deslizamentos de terra, aumento no nível de rios e queda de árvores, postes e pontes.

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem