ANÁPOLIS GOIÁS
CONEXÃO SERTANEJA
Atualizado em 11/06/2024 - 11:59
Foram recolhidos um carro, R$ 14.700,00 em espécie, cartões de crédito, máquinas de cartão de crédito, celulares e notebooks. (Foto: Divulgação / PCGO)

A Polícia Civil de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionatos e Outras Fraudes, da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC), cumpriu nesta terça-feira (11) três mandados de prisão e três de busca e apreensão contra criminosos que usavam inteligência artificial para fraudar o sistema de reconhecimento facial de bancos digitais.

Pouco antes das prisões, o grupo estava tentando acessar 259 contas. Conforme a PCGO, caso tivessem tido sucesso, os criminosos teriam roubado aproximadamente R$ 1,2 milhão. Os mandados da Operação Deep Fake foram cumpridos em Goiânia e São Paulo.

Imagens divulgadas pela polícia mostram uma grande quantidade de materiais apreendidos e a infraestrutura que o grupo tinha para realizar as fraudes contra clientes de bancos digitais. Foram recolhidos um carro, R$ 14.700,00 em espécie, cartões de crédito, máquinas de cartão de crédito, celulares e notebooks.

Veja o vídeo:

 

 

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem