ANÁPOLIS GOIÁS
MANHÃ DA SÃO FRANCISCO
Atualizado em 22/06/2024 - 12:40
Autodidata, o sanfoneiro José Américo marcou história por várias décadas em Anápolis (Foto: Reprodução)
Autodidata, o sanfoneiro José Américo marcou história por várias décadas em Anápolis (Foto: Reprodução)

Faleceu nesta sexta-feira (21), aos 76 anos, o sanfoneiro José Américo Cavalcante de Souza, uma das principais referências da cultura musical de Anápolis e região. Ele deixa um vasto círculo de amigos e os filhos, Thamara Boaventura e José Fernandes, médico e atual vereador de Anápolis.

Em entrevista à Rádio São Francisco FM, José Fernandes, filho de José Américo, contou que o sanfoneiro partiu de forma tranquila, sem sofrimento.

“Hoje o céu está em festa com o som da sanfona. Ontem à noite ele foi dormir normalmente, não passou mal nem foi para o hospital, dormiu bem e, quando amanheceu o dia, estava morto”, disse José Fernandes ao repórter Jonathan Cavalcante.

O sanfoneiro compartilhava uma história tocante com seus amigos, revelando como a música sempre fez parte de sua vida. Vindo de uma origem muito humilde, ele, ainda menino, criava sanfonas imaginárias com pedaços de madeira e botões desenhados com carvão.

Um dia, sua vida mudou quando recebeu de presente uma sanfona de verdade, dada por um tio. A partir desse momento, José nunca mais abandonou o instrumento, aprendendo a tocar sozinho as canções que ouvia no rádio.

Em 1965, enquanto estudava em uma escola de música, seu talento foi notado pelo professor Zé Rebeca. Este mentor reconheceu o potencial de José e o introduziu ao mundo da música comercial, formando a banda ZR5 (Zé Rebeca e os cinco rapazes). Assim começou a trajetória que faria de José Américo uma referência na cultura musical de Anápolis.

O sepultamento do corpo de José Américo ocorreu no Cemitério São Miguel, em Anápolis.

Vídeo mostra José Américo tocando o Hino Nacional Brasileiro:

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem