ANÁPOLIS GOIÁS
MANHÃ DA SÃO FRANCISCO
Atualizado em 06/05/2024 - 9:25
Arnaldo Lima foi indicado pela pesquisa de doutorado "Enunciados de estilo telegráfico nas afasias não fluentes: um estudo discursivo-funcional". (Foto: Reprodução / Imagens cedidas à Rádio São Francisco)
Arnaldo Lima foi indicado pela pesquisa de doutorado "Enunciados de estilo telegráfico nas afasias não fluentes: um estudo discursivo-funcional". (Foto: Reprodução / Imagens cedidas à Rádio São Francisco)

Um pesquisador anapolino foi indicado ao Prêmio Capes de Teses, considerado o ‘Óscar da Ciência Brasileira‘. Arnaldo Lima, de 33 anos, foi indicado pelo Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Estadual de Campinas (IEL/Unicamp), pela pesquisa de doutorado “Enunciados de estilo telegráfico nas afasias não fluentes: um estudo discursivo-funcional”. O estudo trata da linguagem de pessoas acometidas por AVC.

O Prêmio Capes de Teses é realizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC), e tem como objetivo reconhecer as melhores pesquisas de doutorado produzidas no Brasil a cada ano.

O resultado final será publicado no dia 16 de agosto. Conforme o edital da Capes, serão premiadas as melhores teses em cada uma das cinquenta áreas de avaliação, mas apenas três pesquisas receberão o Grande Prêmio Capes.

Caso ganhe a maior premiação, Arnaldo receberá o financiamento para realizar seu pós-doutorado fora do Brasil durante um ano. Além disto, ele e a orientadora do trabalho, Rosana do Carmo Novaes Pinto, serão homenageados em uma solenidade realizada em Brasília, com transporte e estadia pagos.

Sobre a pesquisa

“O objetivo do meu doutorado foi compreender as alterações na linguagem de pessoas que tiveram Acidente Vascular Cerebral (AVC) e, devido à lesão no cérebro, passaram a enfrentar dificuldades com a comunicação”, disse Arnaldo.

A tese concluiu que, ao contrário do que muitos manuais médicos propõem, as pessoas acometidas por afasia (dificuldades de linguagem em decorrência do AVC) não perdem consciência da gramática, ou seja, da lógica da língua.

“Essa conclusão impacta de forma decisiva a maneira como os diagnósticos são definidos e, sobretudo, a conduta terapêutica que visa a reorganização/reabilitação linguística desses sujeitos que tiveram a linguagem impactada pelo AVC”, explica Arnaldo.

Ciência da linguagem humana

A pesquisa de Arnaldo concorre ao prêmio como melhor tese defendida em 2023 na área de Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas e Linguística, Letras e Artes.

“A Linguística é uma ciência que estuda todas as manifestações da linguagem humana. Em resumo, o interesse comum a todos os linguistas, independentemente de sua filiação teórica, é compreender os aspectos e os processos pelos quais os seres humanos conseguem se comunicar”, explica o estudioso.

O Departamento de Linguística da Unicamp, onde Arnaldo desenvolveu seu doutorado, é reconhecido como o mais importante da América Latina.

“Trabalho, esforço e renúncias”

O número de teses que concorrem ao prêmio só será será divulgado junto do resultado. Na edição de 2023 foram 1.669 pesquisas inscritas nos três Colégios do Prêmio Capes: Ciências da Vida, Humanidades e Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar.

“Essa indicação é, para mim, muito significativa. Ser indicado ao prêmio é o reconhecimento por todo trabalho, esforços e renúncias pessoais que tive que assumir para me dedicar à pesquisa ao longo dos últimos 5 anos, período em que realizei meu doutorado”, conta Arnaldo.

A pesquisa de Arnaldo, assim como todas as teses de doutorado e dissertações de mestrado defendidas no Brasil, está disponível para consulta de forma gratuita na plataforma da Capes.

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem