ANÁPOLIS GOIÁS
SHOW DA SÃO FRANCISCO
Atualizado em 30/11/2023 - 16:57
Caso é investigado pela Polícia Civil de Alexânia, a 66 km da regional de Anápolis (Foto: Jonathan Cavalcante)

Em entrevista exclusiva a delegada Silzane Bicalho, revelou novos detalhes do caso chocante em que a mãe entregou as duas filhas, de 04 e 13 anos, para serem estupradas. A Polícia Civil prendeu a genitora das crianças nesta segunda-feira (27), em Alexânia, a 66 km de Anápolis. À Rádio São Francisco FM, a delegada afirmou que o padrasto das meninas e autor dos abusos é caminhoneiro e está foragido.

De acordo com a responsável pelas investigações, a mãe das crianças assumiu todas as acusações. “Perguntei se ela tinha algum problema mental, ou se usava entorpecentes, ela disse que não. Essa mãe disse que conheceu o companheiro pela internet. Além disso, ela resolveu mudar para São Paulo com ele, levando as meninas”, afirmou a delegada Silzane Bicalho ao repórter Jonathan Cavalcante.

É um dos casos mais chocantes que eu já vi. De alguma forma, esse caminhoneiro manipula a cabeça dessa mãe. Então apuramos que na primeira parada num posto de combustíveis, a mãe permite que o companheiro estupre a filha de 13 anos. A menina chora e diz que está doendo e a genitora diz que vai passar e que amanhã você vai querer dar de novo”, pontua a delegada.

Mensagens pornográficas no celular da mãe

As investigações da Polícia Civil de Abadiânia identificaram inúmeras mensagens de conteúdo pornográfico no celular da mãe das crianças. “A todo momento ela envia fotos sensuais para o companheiro. Ela também enviou diversos conteúdos para a filha com fotos do órgão genital do padrasto dizendo: olha, o nosso homem está nos esperando“, afirmou.

Segundo a delegada, as mensagens indicam que o padrasto caminhoneiro estava pressionando para buscar a criança de 5 anos para que ele pudesse estuprá-la. Inclusive, ele combinava com a mãe a forma como ia executar a ação.

Padrasto está foragido

Então, desde que houve a prisão da mãe das crianças, um dos principais objetivos da Polícia Civil é prender o padrasto, que está foragido. Na entrevista a delegada Silzane Bicalho relevou que o caminhoneiro já ligou mais de 20 vezes no celular da companheira querendo saber o paradeiro dela e das crianças. A polícia acredita que o objetivo dele era continuar os abusos sexuais.

Ouça a entrevista no Plantão Policial

Confira na edição desta quarta-feira (29) do Plantão Policial da Rádio São Francisco, a entrevista completa com a delegada Silzane Bicalho:

Tags

PUBLICIDADE
Whatsapp
Enviar mensagem