• Criados em chácara de Anápolis, cães eram usados em rinha de São Paulo e até no exterior Sábado, 21/12/2019 às 07:33:48
    G1
     
    Os cães usados em uma rinha em São Paulo eram criados em uma chácara em Anápolis. Os animais, principalmente da raça pit-bull, eram usados em brigas em vários estados do país e até em outros países. De acordo com a polícia, os donos ganhavam até R$ 50 mil por cada briga que o cachorro vencesse.

    O delegado Eder Martins explicou que existe uma ligação direta entre a rinha que aconteceu em Mariporã, na Grande São Paulo, onde 19 cachorros foram resgatados e foi encontrado até churrasco com carne dos animais, e os cães resgatados de uma chácara em Anápolis. No local foram encontrados animais carbonizados.
     
    “O homem preso em São Paulo criava os cachorros em uma fazenda aqui em Anápolis junto com um peruano. A gente acredita que eles criavam 100 cães. Eles ficavam monitorando onde tinha rinha e levavam os cachorros para as brigas. Eles ganhavam uma porcentagem das apostas, que eram vultuosas”, explicou.
     
    Djoy Paxiuba Oliveira Lucena Rodrigues foi preso em São Paulo e é apontado como o dono dos cachorros. Jhonata Alberto Ordoñez Torres seria o sócio que ajudava a cuidar dos cachorros. Ele está em liberdade.
     
    A polícia disse que já tem as características de um terceiro suspeito de envolvimento no esquema, mas ainda não conseguiu identificar o nome. “Esses cachorros eram usados em brigas até no exterior. Temos indícios de que os animais foram levados para a República Dominicana para uma rinha”, disse o delegado.
     
    Éder Martins explicou que as policias em Goiás e São Paulo trabalham juntas trocando informações sobre os suspeitos para concluir as investigações desenvolvidas em cada estado. “Esses homens vão responder por maus-tratos aos animais e organização criminosa”, concluiu.
     
    Foto: Polícia Civil/Divulgação