• Setembro Amarelo: especialistas dão dicas de como ajudar quem pensa em suicídio Terça-feira, 10/09/2019 às 16:50:50

    Lucas Almeida

    O suicídio mata cerca de 800 mil pessoas por ano no mundo inteiro. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS), contabilizados entre 2010 e 2016. O relatório afirma, ainda, que uma pessoa comete suicídio a cada 40 segundos no mundo.

    De acordo com a organização, graças a estratégias de prevenção ao suicídio que foram adaptadas conforme as condições locais de variados países, a taxa global desse tipo de tragédia reduziu 26% entre 2000 e 2012. No Brasil, porém, a mortalidade teve aumento de 10,4%.

    No dia mundial de prevenção ao suicídio, o psiquiatra Murillo Nascente e a psicóloga Lucilene Liliane alertam sobre a importância do tema e orientam sobre como lidar com alguém que pensa em cometer suicídio.

    Para Liliane, são multi os fatores que levam a pessoa tomar a decisão de tirar a própria vida. “Existem alguns sinais que podem deixar as pessoas ao redor em alerta. Por exemplo, declarações como: ‘eu quero sumir, estou cansado dessa vida’, tudo isso deve ser observado por parentes e amigos que devem prestar apoio total e ajudar a pessoa. Nem sempre o suicídio está ligado a uma doença mental ou não foi avisado por quem cometeu”, explicou.

    Nascente completa ao orientar que jamais deve-se minimizar a dor do outro com declarações: “isso não é nada” ou “você tem tanto dinheiro, por que tá sofrendo isso?”. De acordo com o especialista, falas como essas geram mais complicações para a vítima do que ajuda. “Nós não conseguimos entender a dor do outro, então se comporte apenas como um bom ouvinte. No primeiro momento isso é o suficiente, depois oriente a pessoa a buscar tratamento com especialista e mostre sempre disposição para ouvi-la”, finalizou.

    No Brasil, o Centro de Valorização a Vida (CVV) oferece atendimento voluntário e gratuito 24 horas por dia a quem está com pensamentos suicidas ou enfrenta outros problemas. A organização, uma das mais antigas do país, atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio por meio do telefone 188 e também por chat, e-mail e pessoalmente.

    Foto: Reprodução