História

Em 1961, Frei Pedro Schoffer propôs aumentar a potência da Rádio Sant’Ana. A idéia era de 5000 watts durante o dia e 1000 watts à noite. No entanto, a modificação não foi aprovada pelo governo. Foi então que o frade decidiu contratar outro engenheiro que lhe apresentou a freqüência 670 kilohertz, que foi encaminhada à Comissão Técnica de Rádio, em 1962.

Frei Pedro Schoffer foi passar as férias nos Estados Unidos, e Frei José F. Sullivan assumiu a direção da Rádio Sant’Ana. Neste período a Comissão Técnica de Rádio foi fechada e se criou o CONTEL (Conselho Nacional de Telecomunicações), o que se fez necessário apresentar toda a documentação a este novo órgão. O período era de 1964, marcado pela Ditadura Militar, em que todos os processos ficaram parados.

No ano seguinte, os frades receberam a notícia de que era possível instalar uma emissora de Rádio em Anápolis, com a freqüência 670 kilohertz. Mas, a orientação dada aos mesmos é de que fosse criada uma nova emissora, ao invés de apresentar a Rádio Sant’Ana. Organizou-se então, no dia 2 de dezembro de 1965 a Rádio São Francisco Limitada, uma associação de três irmãs, sendo elas Jacira Aparecida da Cunha, Maria Auxiliadora da Silva e Maria Ferreira Barbosa.

Segundo a Clausula I do Contrato Social:

 

“A sociedade girará sob a denominação de RÁDIO SÃO FRANCISCO LIMITADA, e terá como principal objetivo a instalação de estações radiodifusoras com finalidades educacionais, cívicas e patrióticas, como a exploração de propaganda comercial e atividades correlatas, mediante obtenção do Governo Federal de concessões e permissões, estando de acordo com  a legislação específica regedora da matéria”.

 

Cláusula II

 

A sociedade terá sua sede permanente nesta cidade de Anápolis, Estado de Goiás, à Praça Sant’Ana, s/nº, onde instalará seus estúdios e escritórios centrais.

 

E então, segundo registros históricos, foram preparados dois processos, sendo um da Rádio Sant’Ana, e outro da São Francisco Limitada. O procurador da Rádio Sant’Ana, no Rio de Janeiro, achou melhor encaminhar apenas o da São Francisco, pois ele estava completo. Meses depois, o Diário Oficial publicou que a “Rádio São Francisco Limitada havia ganhado os direitos para explorar os serviços de radiodifusão, na freqüência de 670 kilohertz, com a potência de 5000 watts”.

Em 1967, o governo militar abriu inquérito no CONTEL para averiguar todos os processos, e o da São Francisco ficou ‘parado’, como os demais. E o sonho de inaugurar a Rádio foi adiado para 1º março de 1971, quando a emissora oficialmente entrou no ar.

Desde a sua fundação, a Rádio São Francisco teve os seguintes slogans: “Emissora sorriso”, o primeiro; “A voz do povo em primeiro lugar”; “Juventude com Força total”; “O som de um novo dia”; e mais recentemente “A emissora da paz e do bem”.

O primeiro diretor foi Frei João Batista Vogel, que em novembro de 1975, retorna aos Estados Unidos, para fazer um tratamento, já que estava com Leucemia. Ele foi substituído por Frei Capistrano F. Haim, que até o ano de 2010 era bispo da Prelazia de Itaituba. Nesta gestão foi instituída pela Província do Santíssimo Nome de Jesus do Brasil, a Fundação Frei João Batista Vogel, no dia 12 de fevereiro de 1976.